Oitavo Preceptor


Nós somos os Super-Heróis !
agosto 6, 2008, 2:31 pm
Filed under: Reflexões

Quando mais novo eu sonhava em ser um Super-herói. Ter poderes incríveis e ser invencível. Desta forma poderia me defender dos “fortões-encrenqueiros” do colégio e impressionar as meninas. Ah, é claro, também ajudaria a fazer do mundo um lugar melhor, ajudando e defendendo a todos que precisassem de ajuda (e assim impressionaria ainda mais as meninas!). Mas a gente cresce e esses desejos acabam perdendo força, já que aprendemos que somos apenas humanos, falíveis e mortais.

Um dia descobri que existe uma forma simples de realizar aquele sonho antigo de ser herói. Bom, na realidade existem várias maneiras, o mundo precisa diariamente de boas pessoas fazendo boas ações, mas falarei de uma em particular, a Doação de Sangue.

Doar sangue é um ato de extraordinária nobreza e simplicidade. Não envolve dinheiro, não prejudica ao doador, já que sangue todos temos de sobra (diferentemente do dinheiro). É simples questão de um pouco de tempo e boa vontade, o que se pressupõe que todos temos.

A demanda por bolsas de sangue é diária e imensa, mas não existe estoque para tanto, pois não há doadores o suficiente. Nos hospitais do nosso Estado estão as vitimas da violência ou do trânsito, pacientes que passaram por cirurgias e diversas outras pessoas que, fatalmente, precisam repor sangue perdido. Mas o que há de se perceber é que, independente dos motivos, são todos seres-humanos precisando de ajuda. Uma ajuda viável e simples, que está literalmente em nossas mãos (e no resto do corpo).

Minha história pessoal como doador pode servir para inspirar alguém, então lá vai:

Na semana seguinte do meu aniversário de 18 anos, idade mínima pra ser doador, corri ao hemocentro de Umuarama e fiz minha primeira doação. Tendo doar voluntariamente a cada seis meses, e sou sempre muito bem recebido por lá. Algumas vezes minha saúde não permite a doação, pois além da qualidade do sangue, existe a preocupação com a saúde e o bem estar do doador. Bom, isso não me desanima e continuo a comparecer no Hemocentro periodicamente. O procedimento é rápido: em menos de 40 minutos se preenche os formulários necessários, faz-se a entrevista e doa-se o sangue. Depois ainda rola um lanchinho gostoso que só os doadores sabem como é bom. E tem mais, alguns dias depois da doação, você recebe uma carteirinha de doador e um exame completíssimo do seu sangue. Tudo de graça.

Numa das vezes, enquanto estava tomando meu lanchinho e conversando com as enfermeiras após a doação, elas disseram que o meu sangue estava indo direto para o hospital, pois havia uma moça – casada e com filhos – muito necessitada do meu sangue, e que eu iria salvar sua vida. Saber que meu sangue fez com que filhos continuassem a ter uma mãe viva para abraçar, que um marido poderia continuar a dar um beijo de bom-dia na esposa amada e que dezenas de familiares e amigos não derramariam lágrimas, mas brindariam o dia com sorrisos, me fez ser invadido por um sentimento de missão cumprida, talvez o mesmo sentimento que o Super-homem ou o Batman sentem quando salvam alguém. Naquele momento eu, assim como eles, era um Super-humano.

Muitas pessoas vão doar sangue para repor o utilizado por algum conhecido, mas creio que o grande prazer está na doação voluntária. Ajudar a quem não se conhece, apenas pelo ato de ajudar. Qualquer pessoa com idade entre 18 e 65 anos, boa saúde, mais de 50 quilos, portando algum documento com foto, desde que esteja bem alimentado, pode se candidatar como doador. Não existe motivo para ter medo, o seu organismo não vai mudar, você não vai emagrecer (que peninha…) ou engordar (ufa!); seu sangue vai continuar igualzinho, talvez até melhor, pois a quantidade retirada vai ser renovada por células novas; o material utilizado no procedimento é completamente descartável e o atendimento é feito em um ambiente limpo e acompanhado por profissionais de saúde capacitados. A satisfação é garantida!

Se você sentiu uma vontade louca de salvar vidas e, como eu, acha que doar sangue não é o suficiente, converse com o pessoal do Hemocentro sobre a doação de Medula Óssea. Ali mesmo existem folhetos explicativos e muita gente que entende do assunto para te ajudar a salvar mais e mais pessoas de formas diferentes.

Lembrando também da doação de Órgãos e Tecidos, a qual pode ser feita através da simples manifestação de vontade do doador. Portanto, deixe todo mundo sabendo da sua vontade de ajudar. Visite o site: http://www.adote.org.br e se informe mais.

Salvar o mundo todo pode ser coisa para os heróis do gibi, mas garanto que você não vai fazer feio salvando algumas vidas.

Para quem interessar, o endereço do Hemonúcleo de Umuarama é: Av. Manaus, 4.444, esquina com a rua Desembargador Lauro Lopes, ao lado do Centro Cultural Schubert, no Centro Cívico. O atendimento é realizado das 8h às 12h e das 14h às 16h.

Postado por : Tiago Inforzato, DeMolay, past-MC do Cap.Umuarama, Obreiro da Loja Estrela de Cruzeiro do Oeste, Músico e autor do blog culturanja.blogspot.com



Torne-se um especialista em esquecer…
julho 28, 2008, 4:52 pm
Filed under: Reflexões
Exercitar a arte de esquecer tem notável poder no afrouxamento da tensão e no alívio do cansaço. Há pessoas que se queixam de dificuldades em relação à memória. Muitas mais têm dificuldades em relação a esquecer.
Muitos esgotamentos nervosos são resultado de sobrecarregar a mente com lembranças infelizes de fracassos ou frustrações, o processo de descarregá-la através do esquecimento torna-se de tremenda importância.
Muitas pessoas permanecem deitadas nas suas camas, à noite, recordando o que alguém disse a respeito delas, ou o que alguém lhes fez. Ficam agitadamente obcecadas pela recordação de algo que não foi feito ou foi mal feito. Como resultado de tais cogitações desagradáveis, as suas mentes tornadas desgraçadamente nervosas, começam a sondar no passado esquecido e demoram-se desagradavelmente na recordação de velhos pecados, velhos desgostos, velhos infortúnios. Assim, a mente salta, inquieta, de um centro de desgosto para outro, tal qual uma abelha – com a diferença de que não apanha mel de flôres bonitas ou de episódios agradáveis, mas suga insatisfação das ervas más de experiências passadas.
Um auxiliar superlativo da saúde mental é a declaração bíblica: “Esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. (Filipenses, 3:13, 14.)
Repita isso para si mesmo, várias vezes, quando a sua mente tender a demorar-se em coisas infelizes. Isso ajudá-lo-á a esquecer. E, até ao ponto em que conseguir a habilidade de esquecer, você gozará de um sono sem perturbações e um repouso que lhe renovará as energias.
Esquecer, entretanto, não é um processo negativo, mas positivo. É a expulsão eficaz de algo destrutivo que está nos pensamentos, por um processo de desalojamento. Isso é realizado com a técnica de substituir pensamentos infelizes por todos os incidentes ou ocorrências agradáveis que puder recordar. Quando força os seus pensamentos para que se focalizem em coisas boas e felizes, as coisas más e infelizes irão apagar-se paulatinamente da consciência, já que foram desalojadas.

Sugiro que faça uma cerimónia sagrada, todas as noites, ao fechar a sua porta de casa. Fique de pé ao lado da sua porta e afirme:

  • “Há uma porção de coisas de que agora me estou a esquecer. Peço que elas saiam da minha mente, pois são má companhia.
  • Agora estou a pô-las para fora da minha porta e a mandá-las embora.
  • Agora estou a fechar a porta.
  • Agora, viro a chave na fechadura.
  • A fechadura estala e elas foram-se.”

Essa atitude, inospitaleira, continuada, persistente, todas as noites em relação aos pensamentos infelizes relacionados com os acontecimentos do dia, acabarão por desencorajar tais pensamentos, e, logo depois, você poderá gozar de permanente paz. O processo de todas as noites, para desalojar o pensamento, encorajará a capacidade para selecionar apenas pensamentos tranqüilos e repousantes. Dessa maneira, a arte de esquecer desenvolve uma habilidade no controlo do pensamento que é muitíssimo importante para uma vida eficaz.


julho 25, 2008, 12:38 pm
Filed under: Eventos

PROCLAMAÇÃO AO POVO BRASILEIRO

A CONFEDERAÇÃO DA MAÇONARIA SIMBÓLICA DO BRASIL – C.M.S.B, constituída das 27 Grandes Lojas Maçônicas do Brasil, que congregam 2.557 Lojas Maçônicas situadas por todos os rincões do País e mais de 100 mil Maçons, reunida em sua XXXVII Assembléia Geral, em Salvador – Bahia:

1. torna público seu incondicional apoio ao movimento moralizador desencadeado pela Justiça Eleitoral, no sentido de impedir a participação, a partir desta eleição, de candidatos processados por macular princípios éticos que devem nortear aqueles que aspiram ao exercício da função pública, convocando todos os Maçons e a sociedade a fazer cruzada, não votando naqueles que, nessa condição, obtenham seus registros, via artifício jurídico, como forma de bani-los, vez por todas, do cenário político e fazendo, desse ato, marco fundamental de moralização para a vida pública nacional;

2. exorta a Maçonaria Brasileira e às demais Instituições comprometidas com a cidadania e com os superiores interesses da Pátria, para que pressionem os senhores membros do Congresso Nacional a não homologarem a Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, aprovada pela ONU em 13 de setembro de 2007, por violar princípio constitucional e constituir-se em real ameaça à integridade territorial do País, atingindo, frontalmente, a Soberania Nacional;

3. confia que o Supremo Tribunal Federal, na questão relativa à área indígena “Raposa Serra do Sol”, no Estado de Roraima, decidirá pela preservação do princípio da defesa da Soberania Brasileira sobre aquela imensa e riquíssima Unidade Federada evitando assim, a demarcação de território contínuo e fronteiriço, que somente atenderá a entidades descompromissadas com o interesse nacional;

4. manifesta preocupação quanto ao gradativo e incentivado despovoamento das nossas fronteiras amazônicas, a pretexto da criação de unidades de conservação ambiental e/ou indígena, restringindo o ingresso de brasileiros, e com a ausência do poder público, exceto a do Exército Brasileiro, mesmo desprovido dos meios necessários para o exercício de suas mais elementares funções constitucionais.

Salvador, 15 de julho de 2008.

ITAMAR ASSIS SANTOS
GM Bahia e
Presidente da XXXVII Assembléia Geral Ordinária da C.M.S.B.

Assinado pelos 27 Grão Mestres e Secretário Geral da CMSB

NATHANIEL CARNEIRO NETO
Secretário Geral

Luiz Saraiva Correia
GM Acre

Ivanildo Marinho Guedes
GM Alagoas

Bernardino Senna Ferreira Filho
GM Amapá

René Levy Aguiar
GM Amazonas

Edelcides Lino de Melo
GM Distrito Federal

Etevaldo Barcelos Fontenele
GM Ceará

Sérgio Muniz Gianordoli
GM Espírito Santo

Ruy Rocha de Macedo
GM Goiás

Raimundo N. S. Pereira
GM Maranhão

José Carlos de Almeida
GM Mato Grosso

Juarez Vasconcelos
GM Mato Grosso do Sul

Antônio José dos Santos
GM Minas Gerais

Victor S. R. Alves
GM Pará

Marcos Antônio de Araújo Leite
GM Paraíba

João Carlos Silveira
GM Paraná

Milton Gouveia da Silva Filho
GM Pernambuco

Reginaldo Rufino Leal
GM Piauí

Waldemar Zveiter
GM Rio de Janeiro

Luiz Carlos R. da Silva
GM Rio Grande do Norte

Rui Silvio Stragliotto
GM Rio Grande do Sul

Juscelino M. do Amaral
GM Rondônia

Lindberg Melo da Silva
GM Roraima

José Domingos Rodrigues
GM Santa Catarina

Francisco Gomes da Silva
GM São Paulo

José Valter R. dos Santos
GM Sergipe

Jair de Alcântara Paniago
GM Tocantins

http://www.cmsb.org.br/ – Site da Confedaração da Maçonaria Simbólica do Brasil



A Ordem do Templo vive !
julho 23, 2008, 9:44 pm
Filed under: Curiosidades

O ideal templário revive em organizações como a Maçonaria, Ordem DeMolay entre outras conhecidas, uma organização não muito conhecida é a a “Ordo Supremus Militaris Templi Hierosolymitani (OSMTH) é uma verdadeira Ordem Eclesiástica de Cavaleiros Templários, afiliada e nascida de sua Ordem Templária Mãe, com sede na cidade do Porto, em Portugal. Identificada pelo uso da mesma cruz de “barra dupla”, bem como pelo antigo lema da Ordem.

A OSMTH é uma Ordem de Cavaleiros do Templo, não sendo, portanto, uma Ordem Maçônica e nem a ela é conectada, a não ser historicamente, como qualquer das Organizações Templárias dentro da Maçonaria.

Transcrevo a seguir um trecho da história dessa organização encontrada em seu site onde se pode averiguar com mais detalhes :

“De Molay transmitiu seu título a Johannes Marcus Larmenius imediatamente antes de sua morte, em 1314. Larmenius, envelhecendo e incapaz de continuar como Grão-Mestre, transmitiu o título através de uma “Carta de Transmissão” para Franciscus Theobaldus de Alexandria, em 1324.

A Ordem continuou anônima, com uma sucessão de Grão-Mestres ou Secretários Gerais na França e em outros lugares, por inacreditáveis 400 anos, tornando-se finalmente semipública com a eleição de Phillippe, Duque de Orleans (que mais tarde se tornaria o Regente de França), para o Grão-Mestrado, em 1705. Este Grão-Mestre reestruturou e revitalizou de forma particular a Ordem, dando-lhe um novo conjunto de Estatutos durante o Convento Geral reunido em Versalhes, em 1705. A Ordem finalmente ressurgiu à exposição pública plena durante a época napoleônica na França, em 1804, passando por várias reestruturações e formas até os dias de hoje. “

Curioso não ?

http://www.osmth.org

http://www.ordemtemplarios.org.br



2ª Elevação e Olimpiáda Estadual da Ordem DeMolay
julho 21, 2008, 9:23 pm
Filed under: Eventos

Nos dias 26 e 27 de Julho acontecerá na cidade de Campo Mourão/PR a 2ª Elevação e Olimpiáda Estadual da Ordem DeMolay no Estado do Paraná.

Maiores informações no site: http://www.demolaycampomourao.com.br/



Capítulo Umuarama nº. 133 da Ordem DeMolay
julho 21, 2008, 9:04 pm
Filed under: História

A fundação do Capítulo Umuarama, foi iniciativa dos tios da Loja Maçônica Estrela de Umuarama nº27, do Saudoso Tio Getúlio Pereira Salermo (in memoriam), Massashi Mariushi e João Darcy Bom.

Os preparativos para a fundação do Capítulo Umuarama iniciaram-se em cinco de novembro de 1990, data em que a Loja toma decisão de patrocinar sua instalação.

Em quarto de julho de 1991, depois de formados o primeiro grupo de meninos, foi fundado o Capítulo Umuarama nº 133 da Ordem DeMolay tendo com fundadores os Capítulos de Engenheiro Beltrão e Campo Mourão, tendo como primeiro deputado o Tio João Darcy Bom.

Os primeiros membros do Capítulo Umuarama foram Albino Gabriel Turbay Júnior, Alessandro de Oliveira Mota, Anderson Cezar Urbano, André Luis Pinto Tavares, André Renato Casado Valessi, Cláudio Stutz, Cristiano Reis Siqueira, Dário Cezar Guerrer, Emerson Leandro Rodrigues Agostinho, Fábio Kioshi Suzuki, Gleison Alves de Andrade, Joasi Jacob da Silva Júnior, Juan Marcelo Simões, Leopoldo César Turbay. Luis Marcio Simões, Marco Rogério da Silva, Ricardo de Oliveira Mota, Ricardo Massao Kanno, Wagner Rodrigues Agostinho.

O Capítulo Umuarama já teve como Mestres Conselheiros os irmãos: André Luís Pinto Tavares, Wagner Rodrigues Agostinho, Albino Gabriel Turbay Júnior, Ademir José da Silva, Valber James Moreno Salzedas, Gleison Alvez de Andrade, Válber Henrique Custódio Pereira, Jaibson Rodrigues Agostinho, Tiago Knoll Inforzato, Carlos Alessandro Rodrigues Gomes, Harrisson Gabriel Brait Bana, Rafael Oliveira Borges, Djoni Carlo Demozzi, Éverton Pereira dos Santos, Daniel de Freitas, Jeanderson Rodrigo de Oliveira, Hugo Cabral Victório, Rafael Basso, Rogério Ricardo de Oliveira Junior, Edemilson Cruz Santana, Evair dos Santos Garcia Júnior, Fábio Cardoso, Lucas Priori, Bruno Oliveira,Marcos Vinícius Vilas Boas e atualmente Irmão Felippe Augusto Gaioski.

Atualmente o Capítulo possui em média 20 membros ativos, reunindo-se todos os sábados as 18:00 horas no Templo da Loja Maçônica Estrela de Umuarama e nesses longos anos, diversos trabalhos já foram desenvolvidos em prol da comunidade, como o auxílio à Creche Casa do Leite, manutenção na Escola Municipal Roberto Silveira, Dia de Alegria com as Crianças da Escola Vinícius de Moraes e Paulo Freire, campanha de arrecadação de kits de primeiros socorros; arrecadação de brinquedos para crianças carentes, arrecadação de alimentos nos mercados da cidade, arrecadação de agasalhos, visita ao Hospital Psiquiátrico, campanha de doação de fraldas, auxilio na barraca dos tios onde são arrecadados alimentos para o Lar São Vicente de Paula, que é realizado todo domingo na feira do produtor, e várias outras campanhas.

Um trabalho de bastante destaque foi a Campanha de Doação de Sangue, que culminou com a participação em desfile cívico, pela Avenida Paraná, portando faixas alusivas, obteve tão expressivo sucesso, que mais tarde, foi sugerido como trote aos calouros da Universidade Paranaense (UNIPAR), sugestão que foi aceita e utilizada até hoje, o Capitulo em 2007 renovou a idéia e a consciência de doação juntamente com as primas, alcançando o resultado mais que esperado na oportunidade.

Também não podemos esquecer de citar, que no ano de 2001, quando o capítulo completava 10 anos de fundação, foi realizado por ele, a 2ª Elevação Estadual ao Grau DeMolay e comemoração do aniversário do Capítulo, na Chácara Reguigá, o evento foi bastante prestigiado, contando com a presença do primeiro incentivador da Ordem DeMolay no país, o tio Alberto Mansur.

Outro evento que merece ser lembrado foi o primeiro casamento realizado pela Ordem DeMolay no Brasil, tendo como noivos Djoni e Marluci DeMozzi, no dia 07 de Fevereiro de 2004, na cidade de Mandaguaçu, na qual o Capítulo Umuarama com DeMolays ativos e seniors, teve fundamental importância na sua execução.

Aos 15 anos do Capítulo Umuarama, foi realizado um Jantar de Gala, reunindo a maioria dos 21 Mestres Conselheiros á época, o evento teve muito prestígio junto a comunidade maçônica reunindo os maiores colaboradores da Ordem DeMolay em Umuarama.

Entre realizações para confraternização, nos deixemos de citar a Copa Maçom DeMolay, consistindo na harmonização dos Tios com os Sobrinhos a fim de interagir e aproximar uns aos outros através de campeonatos e um almoço, a cada ano a Copa desponta como sendo um dos mais interessantes eventos permanentes do Capítulo.

No ano de 2006, o Capítulo Umuarama conseguiu o 2º lugar geral no Projeto Ano DeMolay, que tinha como tema a Educação, o Capítulo concorreu com mais de 1.200 Capítulos do Brasil, conseguindo o segundo lugar geral obedecendo a prazos fixados e levando o nome de Umuarama a todos os Capítulos do Brasil, na oportunidade foram doados mais de 800 volumes de livros a Biblioteca Municipal.

A presença do Capítulo Umuarama no II Congresso Nacional da Ordem DeMolay, uniu 18 membros do Capítulo aos mais de 800 DeMolays espalhados por todo o Brasil, uma mistura de sotaques e diferentes rostos encheram o auditório, o Cerimonial de Abertura se tomou pela emoção aos presentes, que tinham em seus olhos a esperança e o entusiasmo em renovar os votos de nossas Sete Virtudes.

Foi também realizado pelo Capítulo, o I Fórum de Lideranças no Estado do Paraná, reunindo o recém formado Grande Conselho Estadual, na qual no Irmão Harrison Brait Bana integrou efetivamente a diretoria do Grande Conselho, o evento fortaleceu ainda mais o espírito de companheirismo e solidificou a união do novo Grande Conselho.

Muitos meninos e rapazes passaram pelo Capítulo e seguramente tiveram a oportunidade de obter novos conhecimentos, e principalmente de receber princípios que norteiam bons cidadãos e patriotas, e por mais longe que estejam certamente reconhecem que valorizaram essa experiência, praticando em sua escola ou faculdade ou ambiente de trabalho.

Hoje, junto de nós, temos o presidente do Conselho Consultivo, o tio Antonio Tavares da Silva, que está sempre presente em nossas reuniões desde os tempos da “velha guarda”, nos ajudando em tudo que precisamos. Infelizmente, não temos tido a presença de muitos Tios conosco, até mesmo porque muitos não conhecem a Ordem ou por falta de tempo, trabalhamos no intuito de ver cheio não somente nossas fileiras, mas também nosso Oriente, na qual pessoas com experiências, sejam Tios, Sênior ou Past Mestres têm muito a compartilhar, sentimos que podemos ter a honra de vossas presenças.

O Capítulo foi fundado com dezenove membros, e hoje, 17 anos mais tarde, muitos jovens já tiveram o privilégio de passar pelo Capítulo, aprendendo a formar uma cidadania consciente, a responsabilidade, cooperação e serviços comunitários, o Capítulo Umuarama tem orgulho de fazer parte de uma legião de homens de bom caráter e percebe que é recíproco tal sentimento.

Fazem parte da história do Capítulo não apenas nossos Mestres Conselheiros, Ilustres Comandantes Cavaleiros, Presidentes do Conselho, Grandes Estaduais ou Chavaliers. A história deste Capítulo é muito maior que qualquer um que a integrou, e o auxílio mútuo sempre fez parte da nossa história, por isso, além de reconhecermos este grande esforço, sejam de DeMolays, Tios, Primas, Pais, e colaboradores de um modo geral, fazemos votos de renovação para que o futuro seja abrilhantando inúmeras vezes como foi no passado, sempre com um único motivo: O Orgulho de Ser DeMolay.



Bushido – O Código do Guerreiro
julho 21, 2008, 7:44 pm
Filed under: Reflexões

Acredito que seja de extrema importância que nós DeMolays façamos sempre analogias entre nossa organização e outras coexistentes ou já extintas.

O Bushido significa, literalmente, “caminho do guerreiro” – era um código de conduta não-escrito e um modo de vida para os Samurai (a classe guerreira do Japão feudal ou bushi), que fornecia parâmetros para esse guerreiro viver e morrer com honra.

Para aqueles que acreditam em coincidências, o Bushido contém 7 virtudes, assim como a Ordem DeMolay.

Confiram !


CHU – DEVER E LEALDADE

Principal entre todas as virtudes do samurai está a lealdade. No mundo ocidental moderno, normalmente vemos a lealdade como algo que é dado. No Japão feudal, era algo a ser devido, era o propósito de vida.

GI – JUSTIÇA E MORALIDADE

O conceito samurai de moralidade não era o mesmo conceito ocidental de fuga da sina. Era mais uma questão de escolher a atitude baseado no conhecimento racional do certo e do errado, e não vagar pela decisião. Emoções nos fazem vagar. Egoísmo nos separa do caminho justo, e generosidade pode também nos levar a fazer o que sabemos em nossa mente que não é correto. Ambos são exemplos de fraqueza.

Se moralidade é agir com princípio no lugar do interesse pessoal, então, talvez, justiça seja fazer a escolha de princípio sem interesse pessoal envolvido. Na ética samurai, esses eram o mesmo conceito. Se você sabia o que era certo, você tinha que fazê-lo.

MAKOTO – COMPLETA SINCERIDADE

Sinceridade pode ser entendida como uma forma de confiança. No mundo moderno, normalmente a associamos a serem suas palavras verdadeiras com relação a seus sentimentos. Mas, no mundo samurai, ela significava algo muito mais além: que suas ações seriam verdadeiras com relação a seus sentimentos. A palavra do samurai era quase literalmente seu contrato; contratos por escritos eram raramente utilizados.

REI – CORTESIA

Os costumes japoneses de educação são conhecidos no mundo todo. Para outras culturas, eles parecem extremos e difíceis de se entender. A visão japonesa pode ser acrescentada ao se dizer que a cortesia coloca outros em pé de igualdade consigo mesmo, ou até mesmo um pouco mais acima. Cortesia é uma expressão de completa simpatia. Ela florece do mesmo ideal da Regra de Ouro*** cristã, mas é levada com um alto grau de atenção. Toma-se cuidado para não fazer nada que deixe o outro com o sentimento de ser o centro das atenções ou de obrigação.

(***Nota de tradução: A Regra de Ouro do cristianismo, e que é também encontrada em todas as outras religiões de forma semelhante, é a que diz: “não faça aos outros o que não deseja que façam com você.”)

Se dois conhecidos se encontram sob chuva e apenas um tem um guarda-chuva, qual seria a ação cortês? Ele poderia dar o guarda-chuva para a pessoa descoberta, mas isso faria essa pessoa se sentir obrigada. Ele poderia compartilhar o guarda-chuva se fossem amigos próximos mas, se não, isso forçaria o outro a aceitar uma situação de proximidade que o poderia deixar emocionalmente desconfortável. A pessoa com o guarda-chuva pode abaixá-lo para mostrar ao seu conhecido que, ao contrário de querer embaraçá-lo, ela compartilhará sua condição e tomará chuva.

JIN – COMPAIXÃO

Assim como muitas palavras em japonês, uma única e direta tradução em português não é sempre possível. Jin também pode ser tida como benevolência, uma palavra derivada do Latim que significa “boas intenções,” mas que sempre entendemos como uma boa intenção de um superior por seu inferior. Acreditava-se que a compaixão, ou benevolência, eram a base verdadeira da liderança e, certamente, da legislação. O líder benevolente tinham o respeito daqueles que eram liderados. O príncipe ou o shogun não precisariam governar através do medo ou de força brutal aqueles que o seguiam livremente. Está também relacionado ao conceito europeu de “noblesse oblige” – que altos postos criam obrigações para com os subordinados. No caso dos samurai, era o reconhecimento de que aquele que comandava a lealdade absoluta daqueles sob ele na socidade tinha a obrigação de usar bem e compadecidamente as vidas que controlava. O cultivo das artes e poesia – ostensivamente para dar ao samurai meios de expressar suas mais refinadas sensibilidades – era também um meio de desenvolver tais sentimentos. Mantinha-se a idéia de que, sem tais sensibilidades, um homem não seria capaz da benevolência e da compaixão.

YU – CORAGEM HERÓICA

A coragem é universalmente admirada hoje em dia. A do samurai era diferente? Talvez no sentido de que eles faziam uma clara distinção entre coragem por interesse próprio, o que eles desprezavam, e a coragem por uma causa justa. Embora o samurai não temesse a morte, ele não morreria à toa ou perderia sua vida simplesmente para demonstrar coragem. “Morrer sem atingir o objetivo é uma morte de cachorro e fanatismo,” diz o Hagakure. Embora a cultura samurai seja amplamente conhecida por encorajar o suicídio, os samurai sabiam bem que algumas vezes era necessário mais bravura para viver, e o homem heróico e corajoso é aquele que é forte o suficiente para fazer o quer que seja correto.

A coragem era uma virtude que era ensinada desde a mais tenra idade. As crianças samurai enfrentavam as duras circunstâncias da vida, e situações desconhecidas e incertas… e aprendiam que poderiam sobreviver a elas. O objetivo era o auto-controle, porque uma pessoa que realmente está com o controle de si mesma poderia se doar livremente ao seu mestre. Essa era, claramente, a maior virtude.

MEIYO – HONRA

O conceito samurai de honra talvez seja o mais difícil de se descrever. A similaridade entre as palavras em português “honra” e “honestidade” nos levam no caminho errado. Meiyo tem mais a ver com o “bom nome” da pessoa. É, de algumas formas, semelhante ao conceito de estima. Inazo Nitobe disse que a falta dela é vergonha, descaramento, e apontou até onde um homem iria para evitá-la.

Honra, o bom nome de uma pessoa e, por extensão, o bom nome de todos os samurai, era certamente mantida carinhosamente. Era considerado inaceitável fazer algo fora do “estilo samurai” que enfraqueceria a reputação da classe. Era igualmente inaceitável permitir insultar o nome dos samurai.